Miriam Leitao at PostGlobal

Miriam Leitao

Rio de Janeiro, Brazil

Miriam Leitao is a reporter and columnist for O Globo and Radio CBN in Brazil. She is also a commentator on Globo TV Network and runs her own blog, www.miriamleitao.com, hosted at Globo online at www.oglobo.com.br. She was awarded Columbia University’s Maria Moors Cabot Prize in 2005. Close.

Miriam Leitao

Rio de Janeiro, Brazil

Miriam Leitao is a reporter and columnist for O Globo and Radio CBN in Brazil. more »

Main Page | Miriam Leitao Archives | PostGlobal Archives


No Ordinary Sneeze

The U.S. used to save the rest of the world from their economic crises. How the tables have turned.

» Back to full entry

All Comments (16)

Ricardo - Rio de Janeiro:

Ô Joãozinho,

Liga o desconfiômetro, meu amigo!
Aqui não é lugar para se escrever em Português!

SAM:

Joao, vc nao espera que alguem va' ler tudo isso ne' ?

JOAO DA ROCHA:

SERÁ QUE O GOVERNO QUER ESCONDER OS LUCROS DOS BANCOS... Para justificar e ao mesmo tempo esconder os fabulosos lucros dos Bancos,prestadores de serviços, com a maior rentabilidade do mundo, em relação ao patrimonio líquido, o Banco Central já busca criar, conforme noticiou a imprensa, um Fundo de Reserva, nos Bancos, para suposto RISCO ...E essas reservas, embora continuassem gerando riquezas no próprio sistema, seriam deduzidas dos Lucros e, portanto, do Imposto de Renda a pagar ao Tesouro.E olha, se realmente for adotada essa medida protecionista e incabível, que pode causar bilhões de reais em prejuizo ao Tesouro ( ao povo) Nacional, seria o caso de se analisar até a criação de uma CPI do Sistema Financeiro,mas que apresentasse resultado em defesa dos interesses maiores da Nação. Os abusos já passaram do limite e o povo é frágil e tem ferramenta da época da pedra lascada para reagir contra tudo isso de sofisticação, aprimporamento e capacidade de descapitalizar um país. Para todas as medidas que beneficiam Bancos e com iniciativa do BC, os resultados sempre foram imediatos. Já as medidas que poderiam beneficiar correntistas, investidores,como redução nas taxas de juros e de serviços bancários, etc.,precisam de longa maturação, como sempre diz o mesmo Banco Central, nós acreditamos e porque ? Será que com uma estrutura tão cara e mantida com suados recursos do Povo, o Banco Central e mais algumas Agências Reguladoras irão continuar esquecendo de cumprir o seu verdadeiro papel ? Apresentando tanto lucro e pouca responsabilidade com o social, o sistema financeiro nacional deve estar sendo, nesse momento, o grande atrativo e cobiça para o capital especulativo internacional aportar aquí no Brasil. Porque EUA, UE e Ásia, não tem mais espaço e ágio criminoso para esse capital volátil que a cada dia e através da imprensa mundial e especializada, vem implantando uma série de notícias, para a fabulosa colheita de ganhos nunca vistos. Será que o Governo está realmente enxergando isso ou a miopia é nossa?. E a selic de 11,25% já não está mais agradando a esse capital voraz e APÁTRIDA, embora o BC não torne público os juros que hoje está pagando para a rolagem de dívida. Já pagamos, através do Tesouro Nacional, nos últimos cinco anos, mais de 700 bilhões de reais em juros e mais de R$ 500 milhões de reais ao dia, em 2007, para alimentar esse capital que não trás produtividade, emprego, renda e consumo.E esse desembolso diário, é sòmente com a dívida de R$ 1,3 trilhões. E o Banco Central já esclarece que a dívida irá crescer entre R$ 180 a 240 bilhões em 2008, passando para R$ 1,48 a 1,54 trilhões. E os juros diários passarão para mais de 600 milhões de reais. Porque continuar culpando o Arroz, o Feijão, o funcionalismo, os aposentados e as justas correções salárias, se o culpado está bem visível e trabalhando na impunidade absoluta? Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, já está pasando da hora de um basta em tantos privilégios aos sistema financeiro e que só direciona recursos para os financiamentos de Curto Prazo, incluindo os papéis do Governo,como a principal mina de ouro.Presidente, pense no País, como sempre o fez.Não deixe que o Brasil se torne no grande e imenso paraiso fiscal para o deleite da agiotagem internacional. Poder, o senhor tem.E que DEUS continue a nos abendiçoar.

JOAO DA ROCHA:

O GOVERNO AMERICANO AGIU A FAVOR DO POVO

Este artigo também foi publicado no Globo Online,
Opinião, edição de 22/01/2008

QUEREM CRIAR UMA AMPLA RECESSÃO, DE QUALQUER JEITO

Pela primeira vez, em décadas, o Tesouro Americano deixou de tutelar, de fato, as sugestões e iniciativas dos grandes cartéis financeiros. E essa inesperada reação, com o anúncio de um pacote de medidas pelo governo americano, que não beneficia bancos, mas a economia do país e milhões de americanos, está acarretando, em cadeia,uma forte transformação no mercado financeiro mundial cartelizado.

O governo americano entendeu e outras nações também devem entender, que a fragilidade dos Bancos Centrais no monitoramento
do sistema financeiro, é que está causando tanta tempestade e rebordosa.

O mundo se cartelizou no sistema financeiro, no petróleo, nas bolsas de valores e de mercadorias e em uma dezena de outras atividades e os governantes das principais nações do mundo, ficaram escravos e impotentes para agirem na defesa dos interesses dos povos de suas nações.

E, agora, estamos vendo, com transparência,como o sistema financeiro agia em absoluta tranquilidade e, em, alguns casos, com irresponsabilidade total e impunidade que continua até hoje. E esse alvoroço todo só tem um culpado, o próprio sistema financeiro, sofisticado, competente, ágil e se comunicando para iniciativas de um mesmo comando e On line.Por outro lado, os Bancos Centrais não foram capazes de acompanhar e de monitorar essa evolução que beneficia milhares, em detrimento de bilhões de pessoas.

Os cartéis estão tentando, de todas as formas, um maior envolvimento do Tesouro americano, com a crise que os próprios bancos criarem, alimentarem e se beneficiaram dela, auferindo lucros de alguns bilhões de dólares. Agora, terão que voltar ao mundo real,entendendo que o dinheiro de bilhões de pessoas não pode mais ser transferido para milhares de pessoas da especulação volátil, improdutiva, sem custo, mas com sacrificio e a troco de que ou de quem ?

Uma nova paginação para os Bancos Centrais e para o sistema financeiro é imperativa, urgente e passa necessariamente por profundas transformações, benéficas para as Contas do Tesouro de países pobres e ricos, totalmente factíveis e de efeito imediato, dependendo apenas da vontade política das Nações.

Como os cartéis que atuam em todas as áreas, estão cada vez mais fortes e os governos cada vez mais fracos para enfrentá-los, basta simplesmente a criação do Cartel do Povo,via Tratado ou qualquer outro instrumento, através dos governantes do G-20, para defender os direitos de mais de 6 bilhões de pessoas, apenas limitando o ágio, acima da inflação, a um porcentual máximo de 3%, para rolagem ou assunção de dividas. É uma iniciativa de efeito multiplicador, democrática, capitalista e de cunho também profundamente social e que pode gerar economia de mais de USD 1 trilhão para os cofres de países ricos e pobres e os matemáticos podem confirmar. E com isso, com certeza, não haverá mais a necessidade da costumeira democratização de lucros e da socialização de prejuízos( em nome do mercado livre) e o mundo viverá em tranquilidade para gerar mais riquezas e reduzir as gritantes desigualdades entre nações ricas e nações pobres e para extinguir a categoria de indigentes. Em consequencia, a vergonhosa ratificação estatística de que somente 2% da população mundial responde por 50% da riquezas, será compulsoriamente reduzida, ano a ano. E o Brasil, que assumirá, em poucos dias, a Presidencia Financeira do G-20, poderá entrar para a história das nações, se conseguir criar esse Cartel que defenderá os interesses de bilhões de pessoas, para que tenham condições dígnas de vida.

Quanto ao sistema financeiro, que ganhou muito com as Letras Hipotecárias, em Investimentos de alto risco e ainda acumula lucros de bilhões de dólares nos últimos cinco anos, é natural que devolva agora parte dessa gordura que está bem localizada e que não levará o paciente à UTI. E países como o Brasil, devem refletir,com calma, sobre a importancia da iniciativa do governo americano ao cortar o cordão umbilical atado ao pernicuioso protecionismo ao capital especutivo mundial. Essa corrente americana começou e deve continuar e se fortalecer, mesmo com as fortes pressões de todos os lados, porque está no correto caminho de defender bilhões para não continuar privilegiando somente milhares de pessoas. O capitalismo de hoje nunca mais será o capitalismo perverso de ontem, felizmente.Esperamos que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não deixe que o noticiário da imprensa mundial e dirigido, atrapalhe a tragetória de queda da Selic, em decorrencia das frágeis argumentações. Façamos uma corrente prá frente, Brasil.

JOAO DA ROCHA:

REFLEXÕES SOBRE 2007 E PARA 2008
ECONOMIA BRASILEIRA

Como somos um país de dimensão continental, correspondendo a 15 vezes a área territorial da França, 34 vezes da Inglaterra, 23 vezes da Alemanha, 22 vezes do Japão ou 28 vezes da Itália, temos problemas que eles já superaram . Mas os países citados, estão no grupo das oito maiores economias do mundo e não apresentam nenhum desigualdade entre regiões ou no PIB per capita e que está acima de USA 30 mil. E esses países, mais os Estados Unidos, China, Rússia, Canadá, Índia, Espanha e também o Brasil, respondem por mais de 80% do PIB mundial. Isso prova que existe uma desigualdade muito gritante entre as 20 nações mais ricas e as 136 nações mais pobres.

Classificaram o nosso País, como a Quinta maior população mundial, com 22 habitantes por quilometro quadrado; o Sétimo maior PIB mundial ou o Sexto pelo RPC (paridade do poder de compra) e como a Sétima maior reserva internacional e a Sexta maior força de trabalho. E a nossa dívida externa , em relação ao PIB, não passa de 11%, enquanto ela representa para os Estados Unidos, 80%, para a Inglaterra, 335%, para a Alemanha, 151%, para a França, 185%, para a Itália, 113%, para a Suiça, 326%, para o Japão 37% e, para a Holanda, 27%. Teoricamente estamos em uma situação muito privilegiada em relação ao resto do mundo. Mas esqueceram de esclarecer, que todas essas riquezas que levaram o país ao seleto clube do G-20, estão praticamente localizadas nas regiões sul e sudeste, que concentram 55% da população brasileira, 70% do PIB e ocupa somente 18% de nossa área territorial total, mostrando, com clareza, que temos dois Brazis.

E as regiões norte, nordeste e centro oeste, ocupando 82% do território nacional, apresentam um PIB maior, tendo em vista a inclusão de Brasilia. Mesmo assim, na média, não passa de US$ 5.000 ou seja, 30% da renda per capita do sul e sudeste.

Diante de tantas informações positivas, acrescentamos ainda o aumento nos empregos formais, o crescimento de 11% nas receitas administradas do Tesouro Nacional, na capacidade de compra e de endividamento dos brasileiros, mesmo pagando os juros mais absurdos do mundo, a auto suficiência em petróleo e a redução da pobreza e das desigualdades regiões, em decorrencia dos programas sociais de Governo. E esses números estão fazendo com que o governo mantenha um volume desnecessário de reservas internacionais (pagando elevados encargos) e não amortize dívidas, pense em Fundo Soberano (um luxo de países que tem sobras de caixa e não sacrificam as prioridades internas) e , mais ainda, em oferecer linhas de créditos, através dos Bancos de Fomento ( BB, Caixa, BNDES e outros) para o financiamento e compra de empresas , no estrangeiro, mantendo, lá, a garantia de emprego, renda e consumo, Tudo isso está acontecendo, porque o governo deixou de fazer completos raios X do Brasil, de norte a sul e de leste a oeste.

Com toda essa euforia, as estatísticas e os raios X nos mostram um Brasil real, que tem 52% de eleitores semi-analfabetos e 8% totalmente analfabetos, 50% de todas as riquezas nacionais (PIB) concentradas em somente 1% ( hum por cento) da população , nível de desemprego acima de 9% e ainda com 20 milhões de pessoas em estado de pobreza quase absoluta. Portanto, não é a hora do Brasil financiar o deficit americano (com as reservas internacionais), a aquisição e instalação de empresa no exterior e de criar facilidades para o capital volátil, mantendo, uma Selic que agride as contas do Tesouro em mais de R$ 30 bilhões anualmente, considerando uma Taxa de 9% ao ano e ainda 100% acima da inflação (uma das maiores do mundo). Devemos encarar, ainda, que no orçamento do pobre, os ítens escola e alimentação pesam muito, porque faltam estabelecimentos de ensino gratuítos de qualidade e o plantio de produtos que possam manter o equilibrio entre a oferta e a procura.

A prioridade que o brasileiro espera e cobra, não está relacionada com a transferência de recursos gerados pelo seu suor, para a manutenção do desenvolvimento dos países ricos, mas sim, visando a solução para os inúmeros problemas internos. E não é concebível que o Brasil, com área arável de 5% do seu territorio ou de 200 milhões de hectares, produza , em grãos, pouco mais de 45% do que os americanos colhem somente em toneladas de milho e que corresponde ao porcentual de 50% da produção mundial. Em 2008, a produção prevista será de pouco mais de 125 milhões de toneladas ( utilizando 50 milhões de hectares), concentradas na soja ( 58 milhões), no milho (53 milhões). no arroz ( 11 milhões ) e no feijão (3,5 milhões). É muito pouco, no contexto de uma produção mundial de dois (2) bilhões de toneladas e aquí temos clima tropical, subtropical, com estações bem distintas, além do governo ainda gastar bilhões de reais com projetos de irrigação. Não há justificativa nenhuma para que o alimento e a escola e até o lazer, tenham um peso tão forte nos índices inflacionários. Falta ao governo elencar e materializar as verdadeiras prioridades do País e administrar, com rigor, os recursos disponibilizados pelo erário. E além dos problemas na educação e na produção de alimentos, falta ao Brasil recursos para a construção de usinas hidroelétricas e de eclusas, para um melhor aproveitamento do transporte fluvial; falta a construção de ferrovias de norte a sul, leste a oeste , para facilitar e baratear o escoamento da produção e o transporte de passageiros; falta infra estrutura de portos e aeroportos; falta a conservação e mais rodovias de qualidade; falta saneamento básico; falta habitação popular e faltam recursos,mas com bom e honesto gerenciamento, na área de saúde. Se faltam tantos recursos para agilizar o nosso desenvolvimento, proporcionando mais emprego, renda , consumo e melhor qualidade de vida para o brasil subdesenvolvido e desenvolvido, porque então proporcionar o conforto lá fora, quando aquí não produzimos alimentos suficientes para alimentar os 185 milhões de brasileiros e não temos escolas de qualidade e gratúitas para matricular os jovens de hoje, para não ser tornar os analfabetos de amanhã. Somos abençados por Deus para cuidar da melhoria das condições de vida de todos os brasileiros e não dos estrangeiros. E as receitas do Tesouro, não foram suficientes para o pagamento dos juros sobre a dívida, em 2007, ficando ainda um residual de mais de R$ 50 bilhões para ser refinanciado.

E os brasileiros cobram ainda do Governo, uma prestação de Contas bem Transparente e analítica e diária de todos os órgãos da administração pública direta e indireta (principalmente do BC e do BNDES), via Internet e não só a publicidade das receitas administradas. A contra partida exigida pelo povo é muito pequena em relação aos R$ 600 bilhões arrecadados em 2007. Caixa Preta com o dinheiro do Povo, não pode existir, em nome de qualquer sigilo, para acobertar irregularidades. O Governo deve contar com o povo e com os Internautas , para a fiscalização de suas Contas.

JOAO DA ROCHA:

TESOURO AMERICANO AGIU A FAVOR DA MAIORIA EM DETRIMENTO DE UMA MINORIA CONCENTRADORA DE RIQUEZAS

O sistema financeiro sempre manipulou e controlou a seu favor, a economia dos EUA e com reflexos na economia mundial. Agora ficou claro, que depois de décadas, os cartéis financeiros já não terão mais os Bancos Centrais como os seus principais aliados. Os americanos descobriram tarde, mas conheceram os males que os Bancos Centrais estão causando à economia mundial, em beneficio da maior concentração de riquesas.
E o Tesouro americano deixou bem claro que não vai injetar recursos do Povo para a manutenção dos abusivos Lucros que os Bancos tiveram com os créditos podres. Se os Bancos criaram e ainda alimentam a crise, que não foi contida por incompetencia ou conivencia dos Bancos Centrais, que eles resolvam os problemas que criaram com os seus próprios recursos.
E o espaço para ganhos fáceis com o Capital especulativo, está se estreitando na Europa, Ásia e Americana do Norte. Não sei porque o Brasil não está seguindo a mesma tendencia e continua pagando ágio de 160% acima da inflação ( talvez o maior do mundo) para a rolagem de sua dívida.
Se o G-20 se unisse, como se uniram a OPEP e os Cartéis Financeiros, determinando, através de um Tratado, que o ágio sobre a inflação de qualquer um desses países não pode passar de 3%, o montante da economia passaria de US$ 1 trilhão e esses recursos que estão indo para a improdutividade, passariam a ser melhor aproveitados e alocados em educação, saúde, transportes rodoviários, ferroviários e urbano,
em saneamento básico. E o mais importante é que reduziria expressivamente a concentração de riquezas. São sugestões factíveis de se concretizarem em curto prazo.
A redefinição da importancia dos bancos centrais e no modelo atual de ação, é absolutamente necessária. Que eles passem a defender o Tesouro de seus países e o Tesouro dos Cartéis Financeiros. é um tema que deve ser aprofundado. Querem porque querem ampliar a crise americana. Mas não será fácil enfrentar uma economia que responde por mais de 25% do PIB Mundial e financia o seu deficit com ágio próximo de zero. Aonde mesmo está a recessão, nos abusivos Lucros dos Bancos ?. Porque no Estado americano, os USD de ajuda não comprova recessão. Bill Gates, hoje, em Dawos, defendeu a descentralização das riquezas mundias. Demorou, mas alguem de "peso" falou na redução das gritantes desigualdades sociais e mundiais.

SAM:

As more fluid and freely the capital flows in search of oportunities and fast growth, investors must favour institutions that are more transparent, and eventually, these funds will start to follow the trend, just like when a bank is charging you too much to keep your own money, you should move away from that bank ...

BTW - Hunky Santa is funny ... never has anything worth reading, I always regret to read his/her comments.

Levent Alkan:


i dont have sufficient dictionary to talk with
but i have a few words to say

as far as i know, HEybeliada Orthodox School in Istanbul was closed by First World War Alliance
second, the immigration exchange between Greece and Turkey is an article of Lousanne Agreement in Switzerland

so Vatican is behind this agreement.

Ataturk is not a master in this agreement,
and later Venizelos of Greece and Ataturk were colleagues

Pope Benedictus had come to Ephesus and agreed with Orthodox Church
and United Kingdom is behind Karamanlis of Greece who asked for Heybeliada school

Prince Charles visited Ephesus on December.

i visited Heybeliada one saturday afternoon.
i climbed up the hill and sat for a while under the school

it was a sunset and the sea was enormously beautiful and endless.
Armenian Church is on a nearby Island too.

if this is not an article of a dispute between countries
if this is an establishment of peace and inspiritual frankness

there shall be Lighthouse on an island
and there shall not be earthquakes, with presence of Markus.

we are humanist villagers, we dont need much.
we are full with hardware and software, all we have is sufficient for at least ten years.

in these ten years, we want to personally grow in virtues
and we want to be inspired heart to heart, with personal attendance.

why did i write these? economics of USA is affected by many other means too.

Levent Alkan:


lets save Italy, where 51st Richest man is in.

this reminds me Nicaea Holy MAss, there were books on the table, table was shaken and books dropped, four books on the table were taken.

you mean there is not any basement left to evaluate the situations, books and thoughts, but just four legs basically?

1. gay rights and abortion that he proded to be civil
2. Galileo and visit of Pope that what Pope proded is unknown
3. Pope Benedictus by scholars being regarded not more than a retired Dean of Bonn
4. Germany Italy relations since Second World War
5. Pope should have been Italian
6. Berlusconi's Scone, catholic nationalist, from top fifty first rich.

is there any other reason much more exportant than Galileo?

heartful kindness of prodigies shall always stand.

Anonymous:

Hi Miriam! Do you remember me? We had discussed sometimes (before 2002 Brazilian elections) about Lula's plans and our fears about it. We both were partially wrong.

Lula is a "fanfarrão" in the best style of Tropa de elite. His speeches like "Never, in the history of this country..." can not convince anymore. However, he had never implemented the socialists’ plans and we learned that socialism is only a marketing tool to Lula.

If a worldwide economic crises starts, Brazil will suffer the effects and, there is nothing that this or any government can do about.

However, my concern is different. There is no candidate for President which has the poor people support and, as you know, nowadays our political structure is much weaker than our economic basis. Based on that, a worldwide economic crisis can jeopardize our economy which will affect our weak political structure.
regards,

Anonymous:

Hi Miriam! Do you remember me? We had discussed sometimes (before 2002 Brazilian elections) about Lula's plans and our fears about it. We both were partially wrong.

Lula is a "fanfarrão" in the best style of Tropa de elite. His speeches like "Never, in the history of this country..." can not convince anymore. However, he had never implemented the socialists’ plans and we learned that socialism is only a marketing tool to Lula.

If a worldwide economic crises starts, Brazil will suffer the effects and, there is nothing that this or any government can do about.

However, my concern is different. There is no candidate for President which has the poor people support and, as you know, nowadays our political structure is much weaker than our economic basis. Based on that, a worldwide economic crisis can jeopardize our economy which will affect our weak political structure.
Regards

Alexandre Lyrio:

Hi Miriam! Do you remember me? We had discussed sometimes (before 2002 Brazilian elections) about Lula's plans and our fears about it. We both were partially wrong.

Lula is a "fanfarrão" in the best style of Tropa de elite. His speeches like "Never, in the history of this country..." can not convince anymore. However, he had never implemented the socialists’ plans and we learned that socialism is only a marketing tool to Lula.

If a worldwide economic crises starts, Brazil will suffer the effects and, there is nothing that this or any government can do about.

However, my concern is different. There is no candidate for President which has the poor people support and, as you know, nowadays our political structure is much weaker than our economic basis. Based on that, a worldwide economic crisis can jeopardize our economy which will affect our weak political structure.

Alexandre Lyrio:

Hi Miriam! Do you remember me? We had discussed sometimes (before 2002 Brazilian elections) about Lula's plans and our fears about it. We both were partially wrong.

Lula is a "fanfarrão" in the best style of Tropa de elite. His speeches like "Never, in the history of this country..." can not convince anymore. However, he had never implemented the socialists’ plans and we learned that socialism is only a marketing tool to Lula.

If a worldwide economic crises starts, Brazil will suffer the effects and, there is nothing that this or any government can do about.

However, my concern is different. There is no candidate for President which has the poor people support and, as you know, nowadays our political structure is much weaker than our economic basis. Based on that, a worldwide economic crisis can jeopardize our economy which will affect our weak political structure.

Regards,

Alexandre Lyrio:

Hi Miriam! Do you remember me? We had discussed sometimes (before 2002 Brazilian elections) about Lula's plans and our fears about it. We both were partially wrong.

Lula is a "fanfarrão" in the best style of Tropa de elite. His speeches like "Never, in the history of this country..." can not convince me anymore. However, he had never implemented the socialists’ plans and we learned that socialism is only a marketing tool to Lula.

If a worldwide economic crises starts, Brazil will suffer the effects and, there is nothing that this or any government can do about.

However, my concern is different. There is no candidate for President which has the poor people support and, as you know, nowadays our political structure is much weaker than our economic basis. Based on that, a worldwide economic crisis can jeopardize our economy which will affect our weak political structure.

Regards,

Alexandre Lyrio:

Hi Miriam! Do you remember me? We had discussed sometimes (before 2002 Brazilian elections) about Lula's plans and our fears about it. We both were partially wrong.

Lula is a "fanfarrão" in the best style of Tropa de elite. His speeches like "Never, in the history of this country..." can not convince me anymore. However, he had never implemented the socialists’ plans and we learned that socialism is only a marketing tool to Lula.

If a worldwide economic crises starts, Brazil will suffer the effects and, there is nothing that this or any government can do about.

However, my concern is different. There is no candidate for President which has the poor people support and, as you know, nowadays our political structure is much weaker than our economic basis. Based on that, a worldwide economic crisis can jeopardize our economy which will affect our weak political structure.

Regards,

Hunky Santa:

>

I thought that Lula mentioned that he "wasn't worried" with the economic situation in the US although had to admit that he was "paying attention" to the situation.

Brazil is still in deep doo-doo because it has a large budget deficit and its internal debt interest rate is closely connected to the interest rates in the US. So, despite all of Lula's bravado, he got his "bundinha" all frozen with worry.

I don't think there's much to be proud as a Brazilian since it is one of the most violent country in the world, and the number of illegal aliens crossing into the US are second only to Mexico.

Oh, and speaking about "unfair," Brazil every year enjoys almost a week of Carnaval, ingnoring the rampant poverty, corruption, and violence in the country. Now, that's unfair!

PostGlobal is an interactive conversation on global issues moderated by Newsweek International Editor Fareed Zakaria and David Ignatius of The Washington Post. It is produced jointly by Newsweek and washingtonpost.com, as is On Faith, a conversation on religion. Please send us your comments, questions and suggestions.